Nomes Linha de pensamento



Download 299,65 Kb.
Page6/10
Date conversion23.10.2016
Size299,65 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
John Robinson (1858 – 1940) Parte 1
  • BIOGRAFIA
  • Economista e reformador social inglês. Nascido em 1858, preparou-se para a carreira do magistério em Oxford, e segundo as informações sobre a sua formação e personalidade era um homem de pouca conversa e muito tímido, destinado a anonimidade de professor de escola pública na Inglaterra. Sofreu influência de diversas correntes do pensamento, entre as quais pode-se citar Marx, Sombart e Veblen. Seu caráter profundamente herético, fez com que sua obra influenciasse autores tão poucos semelhantes como Lênin e Keynes. Foi militante do Partido Trabalhista Inglês desde 1914, suas idéias desempenharam um importante papel na evolução da doutrina do partido,até sua morte em 1940.
  •  
  • CONTRIBUIÇÃO
  • A principal contribuição foi a explicação das crises econômicas pelo subconsumo, desenvolvida em Physioly of Industry ( Filosofia da Indústria), 1889, livro escrito em colaboração com A. F. Murery. Essa teoria do subconsumo baseia-se na idéia de que os gastos do capital e do consumo experimentam um desequilíbrio entre si devido ao excesso da poupança de uma minoria privilegiada, que freia a utilização dos meios de produção disponíveis. Defende um investimento constante da poupança como meio de incentivar a demanda de bens, tese que seria desenvolvida mais tarde por Keynes em sua Teoria Gera (1936). Numa obra posterior sobre o problema do desemprego, Hobson, argumenta que a repartição injusta da renda é um dos fatores que provocam o excesso de poupança e insuficiência do consumo. Acrescenta que a solução para crise estaria na realização de obras públicas financiadas pelo Estado.
  •  
  • Outra contribuição, está na obra Imperalism: A Study ( Imperialismo: Um Estudo), 1902. Após comparar as despesas públicas feitas nos empreendimentos coloniais e os lucros dos capitalistas, argumenta que a Inglaterra deveria abandonar o imperialismo por se basear-se em impostos elevados dos contribuintes para sustentar seus ganhos particulares. O imperialismo faz parte da natureza da evolução do próprio capitalismo. Foi um dos primeiros a perceber que seriam os EUA e não Alemanha, a Inglaterra ou toda a Europa, o novo centro dominante do capitalismo moderno.
  • Parte 2
  • Menu
  • principal
  • John Robinson (1858 – 1940) Parte 2
  • Parte 1
  • LINHA DE PENSAMENTO
  • Percursor de Keynes, sustentou que a causa fundamental da crise econômica é a predominância da poupança em detrimento do consumo, com a conseqüente queda da produção.
  • Estuda os feitos da introdução de maquinaria sobre o emprego e o desemprego, a intensificação do trabalho e o aumento da produtividade. O processo de subordinação crescente da força de trabalho, e a educação pela máquina são invocados para demonstrar a inexorabilidade das mudanças na organização do trabalho.
  • Na questão dos salários, faz uma relação ambígua com a produtividade. Considerando que, uma elevação de salários é quase sempre atendida a partir de uma elevação da produtividade; mas a recíproca não é verdadeira. A parcela que vai para os salários depende das condições e requerimentos da organização do trabalho nas várias indústrias. Assim, “a economia de altos salários” que, segundo os autores do seu tempo, deveria acompanhar necessariamente o aumento da produtividade na indústria mecanizada, só se verificam em forma generalizada sem se confundir com o poder de consumo das grandes massas trabalhadoras. Cita o exemplo americano, demonstrando que uma” economia de altos salários” é uma economia de alto consumo e não de elevada poupança.
  • Discute os efeitos da indústria moderna sobre os trabalhadores enquanto consumidores, há uma apresentação dos dados censuais de população que indicam as modificações na estrutura do emprego. O processo de industrialização tende deslocar a população da agricultura e das manufaturas simples para atividades mais complexas, estágios finais e sofisticados do processo manufatureiro e, finalmente, comércio, transporte e finanças. “Quando uma nação entra na economia capitalista moderna com um baixo nível de conforto material das massas, uma população crescente e um sistema protecionista, ela pode adiar por um longo período a diminuição da ocupação agrícola e manufatureira, que é uma tendência inevitável de uma economia avançada.”
  •  
  • OBRAS PRINCIPAIS
  •  
  • Elaborou numerosos artigos e panfletos, publicou 35 livros, destacando-se: The Evolution of Modern Capitalism ( A Evolução do Capitalismo Moderno), 1894; Imperalism: A Study (Imperalismo: Um Estudo),1902; The Industrial System (O sistema Industrial), 1909; Work and Wealth (Trabalho e Riqueza), 1914; The Economics of Unemployment (A Economia do Desemprego), 1922; e Confessions of na Economic Heretic (Confissões de um herege na economia), 1938.
  • Menu
  • principal
  • Don Patinkin (1922 – 1997)
  • Don Patinkin (1922 – 1997) foi um dos principais teóricos macroeconômicos das décadas de 50 e 60. Money Interests Prices (1956. segunda edição 1965) foi pra muitos economistas, o mais importante relato da teoria monetária e macroeconômica até então disponível. Ele integrou a teria quantitativa da moeda clássica com o modelo de equilíbrio geral a preços relativos, e forneceu também uma integração da macroeconomia clássica com a macroeconomia keynesiana. Foi também influenciado pelo modelo IS-LM de Hicks. Money Interests Prices tem sido visto como um produto da Comissão de Cawles, onde Patinkin foi um sócio pesquisador nos anos 40. A Comissão de Cawles, que embora tivesse bases na Universidade de Chicago, foi separada do departamento de economia, e distante desta, trabalhou em em simultâneos métodos de equação em. Patinkin aplicou vários métodos à macroeconomia. Ele foi influenciado por Oskar Vange, e seu trabalho foi submetido ao exame minuncioso de Jacopb Marshak e seus colegas da comissão.
  • A macroeconomia de Keynes forneceu a estrutura que veio a dominar a macroeconomia pós-guerra, mas isso precisava ser interpretado. A visão inspirada de Patinkin ajudou a influenciar o caminho que a teoria keinesiana foi desenvolvida e interpretada nos anos 50 e 60.
  • Menu
  • principal
  • Carl Menger
  • Biografia
  • Nascido na Galicia, Menger estudou Direito na Universidade de Krakóvia. Desde então, foi professor da Universidade de Viena até 1903.
  •  
  • Contribuição
  • Menger desenvolveu a teoria da utilidade marginal, ao mesmo tempo em que Walras desenvolvia na França e Jevons na Inglaterra. Menger não acreditava que os bens poderiam prover unidades de utilidade, mas sim, poderiam servir a vários propósitos e conter importância diferenciada.
  •  
  • Linha de Pensamento
  • C. Menger é considerado um dos fundadores da Economia Neoclássica e também o fundador da Escola Austríaca de Economia. Seu trabalho influenciou decisivamente F.Hayek e Ludwig von Mises.
  •  
  • Obras Principais
  •  
  • Menu
  • principal
  • Paul Douglas (1892 – 1976)
  • Biografia
  •  
  • P. Douglas nasceu em Salem, Massachusetts, em 1892. Obteve seu MA e seu PhD na Universidade de Columbia, em 1915 e 1921 respectivamente. No período de 1920 a 1948 lecionou na Universidade de Chicago, só a deixando para tornar-se um influente senador pelo Estado de Illinois, posição que manteve no período de 1948-1966. Encerrou sua carreira lecionando na New School for Social Research.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • P. Douglas, a partir do trabalho do matemático Charles Cobb, estimou estatiscamente uma função que descrevia a produção física a partir dos insumos de capital e de trabalho. O que veio a se chamar equação de Cobb-Douglas somente ganhou proeminência com a expansão da Teoria do Crescimento Econômico nos anos 50. A equação de Cobb-Douglas é uma função de produção bastante restrita, na medida em que a elasticidade de substituição dos fatores sempre equivale a um. Recentemente tem sido substituída pela função de produção CES, em que a elasticidade de substituição pode assumir outros valores a partir de uma constante.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • P. Douglas insere-se no mainstream da Economia, e uma vez que lecionou durante muito tempo na escola de Chicago, acabou influenciando o método de pensamento positivista a esta escola associado.
  •  
  • Obras Principais
  •  
  • Real Wages in the United States: 1890-1926
  • Economy in the National Government
  • Menu
  • principal
  • Thomas Malthus
  • Biografia
  •  
  • Thomas Malthus estudou matemática e filosofia em Cambridge, no Saint John's College.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • Malthus é conhecido pela formulação a respeito do futuro da humanidade. Uma vez que a população cresce em progressão geométrica e a produção de alimentos cresce em progressão aritmética, segundo Malthus, a tendência é a fome, criando barreiras ao crescimento populacional. Segundo ele, seria preciso adotar medidas positivas e preventivas, como o controle de fertilidade, embora acreditasse que a guerra e outras catástrofes atuavam de forma mais contundente para a redução populacional. Segundo os críticos posteriores, Malthus não levou em conta a influência da evolução tecnológica na produção agrícola.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Malthus é um pensador original, e embora tenha tido uma longa amizade com David Ricardo, não compartilhava suas idéias. Segundo o próprio Ricardo. Malthus era um pensador voltado ao curto prazo, ao presente, enquanto Ricardo voltava-se mais a economia de longo prazo. Embora não sejam contemporâneos, o pensamento de Malthus guarda semelhança com o pensamento de Marx no que se refere ao aspecto catastrofista do capitalismo, uma tendência inexorável a crise, que em Marx se dá através da superprodução e em Malthus por carência de produção agrícola.
  • Menu
  • principal
  • Maurice Allais
  • Biografia
  • Maurice Allais nasceu na França. É professor de economia na École National Supériore dês Mines de Paris. Destacou-se principalmente ao ganhar o prêmio Nobel, em 1988.
  •  
  • Contribuição
  • Seus principais campos de estudo envolvem o comportamento do mercado e o uso eficiente de recursos. Allais também foi responsável por trazer uma nova luz a Teoria Quantitativa da Moeda. Seu estudo em relação as escolhas dos consumidores diante de riscos levou ao termo "Paradoxo de Allais".
  •  
  • Linha de Pensamento
  • É um economista francês, que não necessariamente se encaixa exatamente nas escolas de pensamento americanas.
  •  
  • Principais Obras
  • Growth and Inflation
  • A Restatement of the Quantity Theory of Money
  • The Role of Capital in Economic Development
  • Menu
  • principal
  • Frédéric Bastiat (1801 – 1850)
  • Biografia
  • Filho de um mercador, Bastiat nasceu em Bayonne, na França, em 1801. Diante de protestos contra o protecionismo agrícola inglês, na França, Bastiat envolveu-se escrevendo e defendendo a liberalização.
  •  
  • Contribuição
  • Foi um dos mais contundentes intelectuais defensores do laissez faire, não admitindo nem mesmo, o caráter regulatório do Estado. O importante era deixar a "harmonia natural dos interesses econômicos" dirigir a economia. Num de seus textos, desprezou o protecionismo com a sátira Petition of the Candle Makers, quando os produtores de velas pediam que todas as janelas, brechas e vistas para o céu fossem fechadas, pois o sol estava levando luzde graça para as casas e era preciso proteger a indústria de velas se não milhares de pessoas perderiam seus empregos.
  •  
  • Linha de Pensamento
  • Foi um opositor ácido do protecionismo, do socialismo e da economia ricardiana (devido às conclusões pessimistas e a dúvida quanto a harmonia natural da economia de mercado).
  • Menu
  • principal
  • Gary Stanley Becker
  • Biografia
  •  
  • Gary Becker doutorou-se pela Universidade de Chicago. Foi presidente da American Economic Association em 1987 e foi o ganhador do prêmio Nobel de 1992.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • A principal contribuição de Becker é trazer novos temas para a economia, numa abordagem multidisciplinar, incluindo Sociologia e Demografia. Em um de seus trabalhos, concluiu que a discriminação é custosa, e portanto, há uma relação inversa entre o nível de discriminação e o nível de competição de uma indústria. Utiliza a análise econômica, em suas análises, para entender as decisões dos indivíduos em relação a suas vidas.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Juntamente com T. Shultz, desenvolveu o conceito de Capital Humano. Becker, utiliza amplamente o ferramental da Microeconomia Neoclássica, para avaliar o comportamento dos indivíduos.
  •  
  •  
  • Principais Obras
  •  
  •      Human Capital
  •      The Economics of Discrimination
  •      Treatise on the Family
  • Menu
  • principal
  • Eduard Bernstein (1850 – 1932)
  • Biografia
  •  
  • Nascido em Berlin, em 1850, quando jovem estudou numa escola de esquerda. Ainda na juventude, ingressou no SPD (Partido Social Democrata alemão). Em 1878, devido a repressão de Bismarck, exilou-se na Suiça e depois, na Inglaterra, só retornando à Alemanha em 1901. Foi ao longo de sua carreira como intelectual um dos líderes teóricos do SPD.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • Bernstein, utilizando dados estatísticos, demonstrou como, ao contrário do que postulava Marx, o desenvolvimento capitalista levava a uma diferenciação de classes mais do que uma polarização de classes. Além deste ponto crucial ao pensamento marxista, atacou a idéia de que o socialismo seria inevitável ou estaria predestinado; desmontava assim o determinismo histórico presente no pensamento marxista.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Bernstein, ao atacar alguns pontos centrais do pensamento marxista procurava, na verdade, refinar o socialismo, negando seu caráter predestinado e chamando atenção para a importância do desenvolvimento gradual da sociedade a fim de atingir um outro estágio de desenvolvimento, daí sim, o socialismo. Desta forma, distanciou-se dos revisionistas como Kautsky e Rosa Luxemburgo, aproximando-se mais aos intelectuais defensores do Socialismo Fabiano.
  • Menu
  • principal
  • Eugen Bohm Bawerk
  • Biografia
  •  
  • Böhm-Bawerk nasceu em Viena e estudou Direito na Universidade de Viena.
  •   Contribuição
  •  
  • Desenvolveu uma Teoria do Capital. As razões das taxas de juros serem positivas eram a expectativa de que os ganhos futuros serem maiores que os presentes, a utilidade marginal dos bens decrescente ao longo do tempo e uma superioridade técnica dos bens presentes em relação aos bens futuros.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Ao analisar o comportamento da taxa de juros e suas razões, Böhm-Bawerk procurava questionar as concepções de Marx a respeito da taxa de juros, que mostrava ser  opressora  ao proletariado, i.e., exploradora da classe de operários.
  •  
  • Principais Obras
  •  
  • Capital and Interest
  • Menu
  • principal
  • Kenneth Boulding
  • Biografia
  •  
  • Autor das Tendências Modernas Kenneth Boulding, (1910-1993), Professor de Economia na Universidade de Colorado, era um homem profundamente democrático, um quacre (a Sociedade de Amigos), um amando e sócio de trabalho diligente com a esposa dele, o sociólogo Elise Boulding Norueguês-nascido eminente, e ambos um atormentador (sobre nossa habilidade para sobreviver os desafios do mundo moderno) e um otimista (ele decidiu dedicar a vida dele a fazer algo de qualquer maneira sobre isto). Professor de Economia na Universidade de Colorado.
  •   Contribuição
  •  
  • Boulding realçou a importância do conceito das famílias na comprensão da economia. Procurou analisar a economia sobre outra ótica alternativa à renda.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Boulding é um pensador eclético, trilhando um caminho alternativo ao mainstream. Boulding chama atenção para importância de uma análise multidisciplinar da economia,fazendo uma integração com as Ciências Sociais. É preciso diversificar as metodologias.
  •  
  • Principais Obras
  •  
  • The Limitations Of Mathematics: An Epistemological Critique (As Limitações de Matemática: Uma Crítica de Epistemológica);
  •  The Place of the "Displacement Cost" Concept in Economic Theory. Economic Journal, 42, 165 (Mar. 1932): 137-141. CP I, pp. 1-7. (O Lugar do " Conceito de Custo " de Deslocamento em Teoria Econômica. Diário econômico)
  • Menu
  • principal
  • Gustav Cassel
  • Biografia
  •  
  • Foi professor da Universidade de Estocolmo, entre 1903 e 1936.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • Cassel lançou o conceito de Paridade do Poder de Compra, onde os preços domésticos são uma relação direta dos preços internacionais e a taxa de câmbio. Desta maneira, os preços de bens com transação no mercado internacional devem ser os mesmos em qualquer lugar, após conversão cambial e custos de transporte.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Principais Obras
  •  
  • The World's Monetary Problems
  • Menu
  • principal
  • Robert Clower
  • Biografia
  • Nascido em 1926, em Pullman, Washington, formou-se em 1948 na Universidade Estadual de Washington, onde também obteve seu MA em 1949. Em 1952 obteve outro MA na Universidade de Oxford. Somente em 1978 obteve o título de PhD pela Universidade de Oxford. Robert Clower lecionou em vários lugares, na Universidade de Northwestern, na Universidade de Essex, em Uganda, na Australia, no Canadá e na Itália. Encerrou sua carreira na Universidade da California, em Los Angeles.
  •  
  • Contribuição
  • Num dos artigos mais influentes de seu tempo, "The Keynesian Counter-Revolution: A Theoretical Appraisal", de 1965. Neste artigo, Clower procura fornecer uma explicação alternativa para a existência de equilíbrio microeconômico com desemprego às explicações da síntese neoclássica.. Para tal, introduziu a hipótese da Decisão Dual. Para isto, distinguiu a demanda entre nocional e efetiva. A demanda nocional reflete preços de equilíbrio em pleno emprego. Quando o sistema não atinge o pleno emprego, alguns consumidores podem sentir que seus salários de fato são menores, e com isto, reduzirão seu consumo. Esta redução espalha-se pela economia através de mecanismos multiplicadores.
  •  
  • Linha de Pensamento
  • Robert Clower é um economista do desequilíbrio, crítico da síntese keynesiana-neoclássica que uniu Keynes e Walras.
  •  
  • Principais Obras
  • “An Investigation into the Dynamics of Investment", 1954, AER.
  • Introduction to Mathematical Economics, with D.W. Bushaw, 1957.
  • "On the Invariance of Demand for Cash and Other Assets" with M.L. Burnstein, 1960, RES.
  • "The Keynesian Counterrevolution: A theoretical appraisal", 1965, in Hahn and Matthews, editors, Theory of Interest Rates.
  • "A Reconsideration of the Microfoundations of Monetary Theory", 1967, Western EJ.
  • "What Traditional Monetary Theory Really Wasn't?", 1969, Canadian JE.
  • "Say's Principle: What it means and doesn't mean", with A. Leijonhufvud, 1973,
  • Intermountain ER.
  • "Reflections on the Keynesian Perplex", 1975, ZfN.
  • "The Coordination of Economic Activities: A Keynesian Perspective", with A. Leijonhufvud,1975, AER.
  • "The Anatomy of Monetary Theory", 1977, AER.
  • "The Transactions Theory of the Demand for Money: A reconsideration", with P.W. Howitt,1978, JPE.
  • "Economics as an Inductive Science", 1994, Southern EJ.
  • Economic Doctrine and Method, 1995.
  • "Taking Markets Seriously: Groundwork for a Post Walrasian macroeconomics", with P.W. Howitt, 1996, in Colander, editor, Beyond Microfoundations.
  • Menu
  • principal
  • Ronald Coase
  • Menu
  • principal
  • Biografia
  •  Ronald Coase nasceu em Londres, em 1910. Graduou-se em Economia, pela London School of Economics, em 1932. Lecionou na própria LSE, na Dundee School of Economics e na Universidade de Liverpool, nos anos 30 e 40. Em 1951 obteve seu doutorado na Universidade de Londres, deixando então a Inglaterra para lecionar nos EUA. Lecionou naUniversidade de Buffalo, de 1951 a 1959, na Universidade de Virginia, de 1958 a 1964 ena Universidade de Chicago de 1964 a 1979.
  •  
  • Contribuição
  •  A contribuição de Coase se deu em dois artigos seminais. No primeiro deles, "The Nature of the Firm" (1937), Coase discute porquê as firmas de fato existem e produzem, ao invés de existirem apenas mercados. Esta questão originou a discussão sobre os custos de transação, explicando porque as firmas estabelecem sistemas de organização que substituem a ação do mercado, e mostrando até ponto ocorrem processos de verticalização. No segundo artigo seminal, "The Problem of Social Cost" (1960) Coase discute com a análise de Pigou em Economics of Welfare, em que Pigou argumentava em favor de que somente o governo poderia corrigir as falhas de mercado representadas por externalidades como a presença de chaminés poluentes próximos das casas. Coase mostrou que ao incorporarmos a idéia de custo de oportunidade, a existência de mecanismos corretivos é desnecessária para equilibrar os custos sociais. Os próprios agentes envolvidos negociarão as externalidades envolvidas no processo.
  •  Linha de Pensamento
  •  Ronald Coase é um dos fundadores da Nova Economia Institucional, e não se enquadra no pensamento econômico ortodoxo.
  •  Principais Obras
  •  The Nature of the Firm", 1937, Economica.
  • "The Marginal Cost Controversy", 1946, Economica.
  • British Broadcasting: A study of monopoly, 1950.
  • "The Problem os Social Cost", 1960, Journal of Law and Economics.
  • "Durability and Monopoly", 1972, Journal of Law and Economics.
  • "The Lighthouse in Economics", 1974, Journal of Law and Economics.
  • "Marshall on Method", 1975, Journal of Law and Economics.
  • "The Wealth of Nations", 1977, Economic Inquiry.
  • "Economics and Contiguous Disciplines", 1978, Journal of Legal Studies.
  • "The New Instittuional Economics", 1984, Journal of Institutional and Theoretical
  • Economics.
  • The Firm, the Market and the Law, 1988.
  • "The Institutional Structure of Production", 1993, in Williamson, editor, Nature of the Firm
  • A A Cournot
  • Menu
  • principal
  • Biografia
  •  
  • Cournot graduou-se na École Normale Supérieure, tornando-se um economista matemático, utilizando a programação linear como ferramenta de trabalho.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • Em 1838 Cournot já lançava o primeiro trabalho sério em economia matemática. Embora com conclusões pobres, Cournot lançaria as bases para o desenvolvimento posterior da economia neoclássica.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Foi o primeiro economista matemático, procurando analisar a economia através da lógica matemática.
  •  
  • Principais Obras
  •  
  • Recherches sur les principes mathématiques de la théorie des richessesl.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


The database is protected by copyright ©sckool.org 2016
send message

    Main page