Nomes Linha de pensamento



Download 299,65 Kb.
Page3/10
Date conversion23.10.2016
Size299,65 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
Michal Kalecki (1899 – 1970) Parte 2
  • Linha de pensamento
  • Aceitou o capitalismo e o comunismo. Teoria desenvolvida do mark-up, que fixa o preço acima.
  • As habilidades diferentes compreendidas resultaram em salários diferentes.  
  • O taxação não necessitou ser um mau do governo. O investimento na indústria ajudou ao crescimento técnico que ajudou por sua vez ao crescimento econômico, ele não era o governo justo que promoveu o crescimento. A taxação não teve um efeito overbearing em níveis do investimento
  •  
  • Principais Obras 
  • "Predição, 1932, Przeglad Socjialistyczny. Um essay na teoria do ciclo de negócio , 1933.
  • "Affaires do DES do cyclique de Essai d'une theorie du mouvement ", 1935, politique do d'economie do revue .
  • "Uma teoria do producto, da renda e de Taxation importante ", 1937, EJ .
  • "O princípio de aumentar Risco ", 1937, Economica .
  • "As determinantes da distribuição da renda nacional ", 1938, Econometrica .
  • Essays na teoria de Flutuação econômica , 1939.
  • "Uma teoria dos lucros ", 1942, EJ .
  • Estudos em Dinâmica econômica , 1943.
  • "Aspectos políticos do emprego cheio ", 1943, publicação trimestral política .
  • "Professor Pigou no Estado estacionário classical ", 1944, EJ .
  • "Três maneiras ao emprego cheio ", 1944 na economia do emprego cheio .
  • "Uma nota no funcionamento longo Desemprego ", 1950, RES .
  • Teoria da dinâmica econômica: Um essay em cíclico e por muito tempo funcionamento muda na economia de capitalista , 1954.
  • "Observações na teoria de Crescimento ", 1962, EJ .
  • Estudos na teoria de ciclos de negócio, 1933-1939 , 1966.
  • "O problema da demanda eficaz com Tugan-Baranovski e Rosa Luxemburg ", 1967, Ekonomista .
  • "As equações de Marxian a reprodução do e Economia moderna ", 1968, informação social da ciência .
  • "Tendência e o ciclo de negócio ", 1968, EJ .
  • "Esforço da classe e a distribuição da renda nacional ", 1971, Kyklos .
  • Essays selecionados na dinâmica da economia de capitalista, 1933-1970 , 1971.
  • Essays selecionados econômico no crescimento do o socialist e a economia misturada , 1972.
  • Essays em desenvolver Economia , 1976.
  • Parte 1
  • Menu
  • principal
  • BIOGRAFIA:
  •  
  • Crítico da teoria nacionalista romântico da teoria econômica, sendo também um dos fundadores da Escola Histórica Alemã.
  • Aceitou a academia de Administração e política na Universidade de Tubingen em 1817 onde foi professor, mas suas opiniões dissidentes provocaram sua demissão em 1819.Então começou a trabalhar ativamente na promoção de uma forte união política e comercial dos Estados Alemães. Foi preso e exilado em 1825 por causa do seu pensamento.
  • Refugiado em França mudou para os Estados Unidos onde morou por muitos anos e exerceu a profissão de jornalista.Regressou à Alemanha em 1831, exercendo função de cônsul norte – americano em Hamburgo e Leipzig.
  •  
  • LINHA DE PENSAMENTO E CONTRIBUIÇÕES:
  •  
  • “A tarefa da economia nacional (= economia política) consistia em promover o desenvolvimento da Nação, preparando-a para a entrada na sociedade universal do futuro”;
  • List argumentava que era dever do governo nutrir os fatores produtivos da Nação. Fazendo isso o livre comércio podia existir, mas nunca antes.Isso é semelhante ao argumento da moderna indústria nascente que deveria ser protegida. Mas relevante que isso, ele desenvolveu a teoria econômica das “fases”, que serviria de base para a Escola Histórica Alemã.
  • A negação do dedutivismo, a crítica à Escola Clássica e a aplicação do empirismo e do historicismo como métodos de análise; Aplicava abordagem revolucionária ao estudo da sociedade; Traçava uma analogia com o evolucionismo de “Darwin”, para o organismo social: nasce-desenvolve-cresce-decai-morre; A sociedade está em constante mudança, assim, uma doutrina econômica, apropriada para um país pode não ser para outro ou em outra época; Abordagem relativista, útil para atacar a Economia Clássica (apropriada para a Inglaterra e não para a Alemanha); Teórico do protecionismo e do nacionalismo econômico. Combate à escola inglesa da economia clássica. Nele se inspiram posteriores movimentos do protecionismo, do nacionalismo econômico e do próprio colonialismo;
  • Enfatizava a importância do estudo histórico da economia, como parte de um todo integrado; Fenômenos eco/sociais interdependente, tratamento adequado, era a combinação com outras ciências sociais; Críticas as qualidades abstratas, dedutivas, estáticas, irreais, a-históricas da metodologia Clássica/Marginalista; Estudos indutivos em massa, com emprego de material, fontes primárias, e estudos de instituições em alteração; Método Histórico permitia estudar todas as forças de um fenômeno eco..., Facetas do comportamento econômico, não apenas sua lógica econômica; Os economistas da Escola Histórica Alemã eram reformadores, porém conservadores; Eco. Política possui tarefas éticas importantes, não apenas analisar motivos que promovam a atividade econômica, mas pesar/comparar o mérito moral; Determinação de um padrão de produção/ distribuição de riquezas adequadas a satisfazer as exigências de justiça/moralidade; O Estado Alemão deveria incumbir-seda melhora de condições do homem, fortalecendo a lealdade ao Estado, enquanto salvaguardaria a saúde, bem-estar e eficiência dos operários.
  • Friedrich List
  • Menu
  • principal
  • Arthur Cecil Pigou (1877 – 1927)
  • Biografia
  • Como o estudante premiado designado de Alfred Marshall, Arthur que Cecil Pigou personificou o “Cambridge Neoclassical” - coração do ortodoxo marshallian . Sua reivindicação principal à fama é seus Riqueza e Bem-estar (1912, 1920), que trouxe o bem-estar social no espaço da análise econômica. No detalhe, Pigou é responsável para a distinção famosa entre produtos marginais confidenciais e sociais e custos e a idéia que os governos podem, através de uma mistura os impostos e os subsídios, para corrigir tais falhas do mercado - ou "internalize os externalities".
  • Mas Pigou não era um homem afortunado. Sua aproximação veio imediatamente sob o ataque severo de Robbins e de Knight. A economia de bem - estar nova levantou nos 1930. Mais tarde sobre, Pigou assaltado para sua "suposição ingênua do despot benevolent" e, finalmente, Coase demonstraram seu irrelevância quando aos direitos de propriedade são atribuídas corretamente.
  • A outra fonte da sorte má era que Pigou esteve usado por John Maynard Keynes como "o homem reto". Na teoria geral, Keynes prendeu acima da teoria de Pigou de Desemprego (1933) como o exemplo de tudo que era errado com macroeconomias neoclássicas. Recuperou nunca completamente do choque de betrayed por seus colega e amigo velhos. O descanso da vida de Pigou era ocasionalmente contra-atacar gastado (por exemplo, com de “o efeito Pigou" (1943 1947)) ou submeter-se (por exemplo, 1945, 1951) à volta de Keynes.
  • Principais Obras
  • Robert que bronzeia como um Professor religioso, 1901; Tarifa, 1903; "Monopólio e excesso dos consumidores", 1904, EJ; Paz Industrial, 1905; Deveres De Importação, 1906.
  • A “revisão da quinta edição de Marshall princípios da economia", 1907, EJ
  • Dos "excesso produtores e dos consumidores", 1910, EJ; Riqueza e Bem-estar, 1912.
  • Desemprego, 1914; "o valor do dinheiro", 1917, QJE; A economia de Bem-estar, 1920.
  • "Caixas Econômicas Vazias: Uma resposta”, 1922, EJ.
  • A economia política de Guerra, 1922.; De "valor troca do dinheiro do encarregado legal", 1922, essays em economia aplicada.
  • Essays na economia aplicada, 1923; Flutuação Industrial, 1927.
  • "A lei do custo diminuindo e crescente", 1927, EJ; Um estudo nas finanças públicas, 1928.
  • "Uma análise da fonte", 1928, EJ; A teoria de Desemprego, 1933.
  • A economia de Estado estacionário, 1935.
  • Do "Teoria De Geral Sr. J.M. Keynes", 1936, Econômica
  • "Taxas reais e do dinheiro de salário com relação ao desemprego", 1937, EJ.
  • Do “salários dinheiro com relação a Desemprego, 1938, EJ”.
  • Emprego e Equilíbrio, 1941; "O Estado Estacionário Classical", 1943, EJ.
  • Lapsos do emprego cheio, 1944;
  • Menu
  • principal
  • Karl Brunner
  • Biografia
  • Nascimento: Inglaterra
  • Principal Obra: A Introdução e os Princípios da Moral e Legislação, em 1780.
  • Um dos mais prestigiosos economistas que estudam o dinheiro, a Economia e a política monetária. Nascido na Suíça, é professor da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, e de Berna, na Suíça. Segundo afirma Brunner, o problema da informação, que é um dos três principais problemas da política monetária, está perfeitamente resolvido nos Estados Unidos, graças ao Federal Reserve Bank e ao Comitê Federal do Mercado Aberto (FOMC).
  •  
  • Contribuições
  • Escola de Chicago sempre se caracterizou por enfatizar a importância do controle da oferta monetária. As raízes do monetarismo estão na Teoria Quantitativa da Moeda, que é o esqueleto teórico da Economia Monetária do século XVIII.. Brunner advoga os princípios de política econômica oriundos da moderna interpretação da Teoria Quantitativa da Moeda propostos por Friedman na coletânea de artigos Studies in the Quantity Theory of Money (1956). O desenrolar deste corpo teórico acabou por propor regras de crescimento constante da oferta monetária em detrimento de medidas discricionárias de política monetária, como sendo a forma mais eficiente das autoridades monetárias promoverem a estabilidade do nível de preços e o crescimento sustentado do produto per capita. No pós–segunda guerra, Karl Brunner e Allan Meltzer foram influentes divulgadores do Monetarismo. Brunner & Meltzer fundaram, nos anos setenta, o Shadow Open Market Comittee para divulgar o ideário monetarista de como o FED (Banco Central dos Estados Unidos) deveria conduzir a política monetária.
  •  
  • Principais Obras
  • "inconsistência e Indeterminacy na economia classical", 1951, Econometrica
  • "o relatório do commission no dinheiro e no crédito", 1961, JPE
  • "um schema para a teoria da fonte do dinheiro", 1961, multiplicador
  • "Velocidade Predizer: Implicações para a teoria e a política ", com A.H. Meltzer , 1963, J das finanças
  • O acessório de reserva federal ao conceito livre das reservas , com A.H. Meltzer , 1964.
  • Uma aproximação alternativa ao mecanismo monetary , com A.H. Meltzer , 1964.
  • Menu
  • principal
  • Leon Walras (1831 – 1910)
  • Principais Obras
  • Elements d’économie politique pure; Études d’économie sociale; Études d’économie politique.
  • O primeiro trata da economia pura e mostra o caráter sistêmico da economia, a interdependência de todos os mercados e a possibilidade teórica do equilíbrio geral. Os demais livros estão voltados para a economia aplicada, que ele considerava como relacionada à moral.
  • Léon Walras nasceu em Evreux(França). Formou-se em letras aos 16 anos. Conseguiu ingressar na Escola de Minas de Paris, mas abandonou o curso de engenharia. Em 1870 lhe ofereceram a recém criada cátedra de economia política em Lausanne. Por ter feito uma palestra sobre tributação nesta universidade, um dos presentes pressionou a comissão para que o aceitasse. Sua ação divide-se entre a economia pura e a economia aplicada. Era também um reformista pois se preocupava com as reformas sociais.
  • Defendeu a estatização de todas as terras, apresentado como razão para isto o fato das terras se valorizarem rapidamente. Com isso o Estado poderia indenizar os proprietários com folga e arrendá-las aos interessados no seu cultivo. Em face disto o Estado dispensaria os tributos e os substituiria pelos rendimentos dos aluguéis. Uma outra razão para a estatização era que a terra nas mãos de particulares, criava obstáculos à seu pleno aproveitamento, pois muitos trabalhadores capazes e eficientes não tinham como cultivá-la. Tudo isto se refere às idéias reformistas de Walras. No campo da economia pura, Walras preocupou-se com a causa do valor de troca e o equilíbrio geral da economia. Para ele a raridade é a causa do valor de troca. A escola inglesa de Adam Smith, Ricardo e Mac-Culloch coloca a origem do valor no trabalho. A escola francesa de Condillac e de J.B.Say coloca a origem do valor na utilidade. Walras coloca a origem do valor na raridade. Para ele uma coisa que não tem nenhum uso é de preço nulo e a dificuldade de se obter essa coisa deve ser considerada. Juntando essas duas idéias, o preço da mercadoria será melhor fundamentado. Na sua teoria do equilíbrio geral, Walras é puramente matemático, querendo mostrar que a interdependência entre todas as variáveis econômicas é suscetível de uma aplicação matemática, que este mercado independente pode chegar ao equilíbrio geral e que a força que leva o mercado ao equilíbrio é a livre concorrência.
  • Walras faz a distinção entre mercado de produtos e mercado de fatores. No primeiro os consumidores demandam bens e serviços. No segundo as empresas demandam fatores de produção. Os fatores de produção para os neoclássicos são trabalho, capital e recursos naturais. As empresas são compradoras no mercado de fatores e vendedoras no mercado de produtos. Qualquer alteração de preços, em qualquer destes mercados, alterará todas as demais variáveis do sistema econômico.
  • Walras estudou a teoria da determinação dos preços, baseado no regime hipotético do livre mercado e da concorrência perfeita. Pretendia mostrar seus descobrimentos em forma de proposições matemáticas, dando à economia um teor científico comparável ao que desfrutavam as ciências físicas.
  • Estava interessado em provar que os resultados da livre concorrência eram benéficos e vantajosos. Para isso, era necessário, por um lado, conhecer exatamente quais eram esses resultados e, por outro, especificar as definições e as leis de um regime de concorrência perfeita. Segundo Walras, os economistas não haviam desenvolvido o princípio da livre concorrência além dos limites de sua verdadeira aplicação, o que provava que o princípio não havia sido demonstrado.
  • Menu
  • principal
  • Erik Lindahl (1891 – 1960)
  • Provavelmente o membro o mais teórica rigorosa_da escola de Éstocolmo _, Erik Lindahl era o único membro desse grupo que permaneceu completamente dentro do academia. Embora obtivesse seu grau em Lund e fosse influenciado altamente por Knut não era estudante de Wicksell.
  • Uma avaliação é primeiro determinada dos trabalhos de Erik Lindahl durante os anos vinte: Pontarias de Política Monetária, " O Lugar de Capital na Teoria de Preço ", " Na Relação entre a Quantidade de Dinheiro e o Preço Nivelam " e Meios de Política Monetária. Depois de que a origem de idéias e as contribuições analíticas de Lindahl para análise monetária durante os anos vinte é discutida das perspectivas seguintes: o formualtion de uma norma para política monetária, tipo de análise de equilíbrio, equações fundamentais e fundações de microeconomic, teoria importante e análise de intertemporal, suposições sobre o sistema monetário, o problema de estabilidade e a singularidade do nível de preço.
  • As contribuições de Lindahl à teoria econômica estendem além de suas raizes de Wicksellian para embrace muita de o que é contido na teoria _ HYPERLINK "_neo-Walrasian-Walrasian _moderna. O formulation de Lindahl do conceito das economias da seqüência e do equilíbrio intertemporal (1929, 1930) está distante pela primeira tentativa rigorous de fazer assim. Couching de Lindahl de uma teoria do capital (1929, 1939) em termos intertemporal antecipa tentativas famosas de Malinvaud (.    Transferência de conceitos de Lindahl ao mundo anglophone foi realizada por dois de seus supporters mais ardent,.edu%2Fhet%2Fprofiles%2Fhayek.htm" _Hayek _(1941). Desde então, seu trabalho " na análise da seqüência " foi dado uma ênfase mais grande desde o trabalho de Hahn. A solução 1919 de Lindahl a fixar o preço de bens públicos é uma outra realização visível, trazida em econômico moderno por Duncan
  •  
  • Principais Obras
  • Der Besteurung de Gerechtigkeit do dado , 1919, (trans. como " apenas o taxation: Uma solução positiva ", 1958)
  • " Algumas perguntas controversas na teoria do taxation ",
  • Espaço e meios da política monetary , dois volumes, 1929, (publicados confidencialmente - veja Lindahl, 1930)
  • " O lugar do capital na teoria de Preço ", 1929, Ekonomisk Tidskrift .
  • Métodos da política monetary , 1930.
  • " O conceito de Renda ", 1933, essays na honra de Gustav Cassel .
  • " Uma nota no Problema fixando o preço dinâmico ", 1934, (publicado mais tarde)
  • " O problema de balançar o orçamento ", 1935, Ekon Tidsk .
  • Estudos na teoria de Dinheiro e de Importante , 1939. (traduções inglesas de 1929, de 1930, de 1935).
  • " O dynamiska do den do inom de Metodfragor teorien ", 1942, Ekon Tidsk .
  • " Política monetary de Sweden e política de imposto após a guerra ", 1943, Ekon Tidsk .
  • " Alguns aspectos da inflação Problema ", 1948, Nationalok Tidsk .
  • " No Sistema Econômico De Keynes ", 1954, Registro Econômico .
  • Menu
  • principal
  • James Buchanan (1791- 1868)
  • Biografia
  • James Buchanan nasceu perto de Mercersburg, em 23 de abril de 1791. Após o serviço breve na guerra de 1812, foi eleito no conjunto da câmara na Pensilvânia como um federalista. Serviu no conjunto da câmara de 1814 a 1816, mantendo sua prática legal.
  •  
  • Um advogado graduado incorporou a política da Pensilvânia como um federalista. Foi eleito presidente em 1856, derrotando John C. Frémont, o candidato republicano, e o presidente anterior Millard Fillmore do partido americano. Buchanan passou por uma crescente crise de problemas. Ao negar a direita da sucessão, Buchanan negou também que o governo federal poderia fazer qualquer coisa sobre ele. Suportou a administração durante a guerra civil e morreu em Lancaster, em junho de 1868.
  •  
  • Contibuições
  • Com o desaparecimento do partido federalista, transformou-se num democrata de Jacksonian. Serviu com habilidade na casa (1821 a 1831), como ministro de São Petersburgo (1832 - 1833), e no senado (1834 - 1845), e em 1845 transformou-se em Secretário do Estado de Polk.
  •  
  • Em 1853 foi o ministro apontado para ir a Grã Bretanha, onde participou com outros diplomatas americanos na Europa para esboçar o manifesto expansionista. Os inimigos políticos chamaram-no um "ajustador", mas fez exame da terra média consistentemente como uma matéria da política.
  •  
  • Princiais Obras
  • JAMES BUCHANAN/ R. E. WAGNER – Democracia deficitária, Nova Iorque, 1977.
  • JAMES BUCHANAN e outros – A Economia dos Políticos, Londres, o instituto da economia, 1978.
  • Menu
  • principal
  • Milton Friedman
  • Economista norte-americano, principal teórico da escola monetarista e membro da escola de Chicago, para qual a provisão de dinheiro é o fator central de controle no processo de desenvolvimento econômico. Para Friedman, as variações da atividade econômica não se explicam pelas variações do investimento, mas sim, pelas variações da oferta de moeda. Assim, as intervenções multiformes do Estado na vida econômica de um país poderiam ser substituídas pelo controle científico da evolução da massa de moeda em circulação. A política monetária visaria à redução das possibilidades de intervenções específicas da autoridade pública e à introdução no sistema de um grau mais elevado de auto-regulação dos aspectos do ambiente social que constituem as determinantes básicas do funcionamento da economia.
  •  
  • Há conexões entre as opiniões de Friedman sobre a política econômica nacional e a internacional. Na esfera internacional, ele advoga a adoção de taxas de câmbio totalmente flexíveis, que seriam determinadas pelo livre jogo das forças do mercado.
  •  
  • Milton Friedman recebeu o Prêmio Nobel de Economia em 1976, quando apresentou um trabalho que apresentava suas realizações nos campos de análise de consumo, história e teoria monetária, e demonstrava também a complexidade da política de estabilização. Foi professor na Universidade de Chicago entre os anos de 1946 a 1976, e membro do Departamento Nacional de Pesquisas Econômicas dos EUA entre os anos de 1937 a 1981.
  • Menu
  • principal
  • William Stanley Jevons (1835 – 1882)
  • Menu
  • principal
  • Biografia
  •  
  • Jevons nasceu em Liverpool, Inglaterra. Inicialmente estudou química e botânica na University College. Anos depois, assumiria a cadeira de economia política na University College, onde permaneceu até 1880.
  •  
  • Contribuição
  •  
  • Jevons desenvolveu a Teoria da Utilidade Marginal, visando assim entender o comportamento do consumidor. Defendia o uso da economia matemática, pois a economia lidava com quantidades. Jevons também formulou a equação de trocas, que estabelecia a igualdade entre a utilidade marginal do item consumido e seu preço.
  •  
  • Linha de Pensamento
  •  
  • Jevons foi um dos fundadores da Economia Neoclássica. Seu pensamento foi bastante influenciado pelos utilitaristas, como a avaliação das consequências das políticas e ações sobre a utilidade observada pelos indivíduos.
  •  
  • Principais Obras
  •  
  • Friedrich Von Wieser (1851 – 1926)
  • Biografia
  • Friedrich von Wieser (1851-1926). Nasceu em Viena, economista e sociólogo,da escola Marginalista, foi discípulo de Menger, se tornou membro da Escola Austríaca. Wieser e Bohm-Bawerk, seu cunhado, cuidaram da nova geração de Austríacos (incluem nesta lista, L.von Mises, F.A. Hayek e J.A. Schumpeter) no período entre 1891 a 1900. Wieser sustentou seus cargos nas Universidades de Viena e Praga até que em 1903 ele foi chamado para substituir Menger na cadeira de economia da Universidade de Viena. Famoso pelo seu comportamento generoso, ele entra na política em 1917.
  • Contribuições
  • É impossível começar a falar sobre as contribuições de Wieser sem falar um pouco sobre Menger. Menger, economista austríaco, fundador da Escola Austríaca, desenvolveu uma teoria subjetiva do valor ( teoria da utilidade marginal ), ligando-o à satisfação dos desejos humanos. Para ele as trocas ocorrem porque os indivíduos tem avaliações subjetivas diferentes de uma mesma mercadoria: Toda atividade econômica resulta simplesmente da conduta dos indivíduos e deve ser analisada a partir do consumo final, como uma pirâmide invertida. Sua teoria da utilidade marginal, foi também desenvolvida na mesma época (1871) e independentemente por Jevons, mas foram Menger e seus discípulos Bawerk e Friedrich von Wieser que melhor a explicaram. A principal contribuição de Wieser foi introduzir o termo de utilidade marginal, no qual se trata o “custo”, uma lacuna deixada pela teoria de Menger, que é definidada pela utilidade.
  • Wieser, refinou o ponto de vista subjetivo da teoria do valor de Menger, onde o indivíduo e suas necessidades são o princípio e o fim de toda análise. Acentuou o caráter formal da avaliação subjetiva, além de contribuir para a teoria da Escola Austríaca nas áreas do custo da distribuição e do valor natural.
  • Wieser, introduziu o termo de utilidade marginal já em seu primeiro livro (1884), sobre aorigem e as principais leis do valor econômico, no qual trata do custo, uma lacuna deixada pela primeira teoria austríaca do valor, por Memger, que é definida pela utilidade. Wieser, desenvolve uma “lei do custo” que ficaria conhecida como o princípio do custo de oportunidade e se tornaria um importante elemento na teoria da alocação de recursos. Segundo essa lei, dada uma quantidade de fatores de produção, a concorrência por seu uso os distribuirá de tal modo que o custos dos produtos decorrentes será o mesmo, qualquer que seja o uso desses fatores.
  • Outro elemento importante na obra de Wieser, sua doutrina do valor natural, foi desenvolvidanos livros: O valor natural e Teoria da economia social. Nos quais tenta realizar a transição do ponto de vista histórico social da teoria clássica do valor ao individualismo da escola Marginalista. Para Wieser, o valor natural, seria o obtido num estado igualitário, onde não haveria desigualdade de riquezas e nem egoísmo individual. O valor seria então resultado da quantidade disponível de utilidades numa economia comunitária.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


The database is protected by copyright ©sckool.org 2016
send message

    Main page